sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Exemplo de transcrição de áudio supereditada


A transcrição de áudio supereditada traz cortes e intervenções mais vigorosas do transcritor-revisor sobre o conteúdo do áudio a ser transcrito. Concordância nominal e verbal recebem atenção adequada, assim como são eliminados os gaguejos, os "né", "tá", e expressões do cotidiano como o "tá bom" é trocado por "está bem".

Este artigo tem 450 palavras e você deve levar em torno de 2,5 minutos para ler.

O desencanto dos leitores

O desencanto dos leitores ao receberem o conteúdo da gravação transcrita transpareceu algumas vezes para nós. Assim como já expressaram alguns supervisores que tive que me aconselharam a não usar "pra" e "pro", porque segundo eles "o leitor disse que não fala errado". E foi por esta razão que passamos a adotar a versão da transcrição de áudio supereditada.
A expressão "a gente faz" por exemplo é trocada por "nós fazemos", "promoveu elas" por "promoveu-as" e etc. são realizados para ajustar o texto para facilitar a operação "copiar-colar" de quem adquiriu o nosso serviço de transcrição.

Quem deveria usar a transcrição de áudio supereditada?

Todos os clientes, exceto advogados. Os advogados precisam da versão literal jurídica, essa é a nossa sincera recomendação. Agora, trabalhos acadêmicos em que o objetivo não é um estudo linguístico específico mas apenas a coleta de dados para informações acadêmicas, o estilo supereditado nos parece o mais adequado e recomendado. Por que dizemos isso?

Uma linguagem que a máquina entende

Programar um Atlas TI para receber as transcrições e destacar as palavras e expressões-chave. Essa é uma das principais dificuldades se misturarmos o português correto com erros de português. Já é um desafio programar esses programas e adequá-los para as diversas funções que o pesquisador pretende utilizar para extrair informações e conclusões baseadas nas informações que digitamos, a máquina ainda ter que analisar se usou "pra" no lugar de "para a", "é nóis na fita" em vez de "ficamos ali no ato", entre outras expressões é sobrecarregar o pesquisador e prestar um desserviço à ciência.

Novamente insisto, estou me referindo às transcrições para uso de estudos não linguísticos, mas como ferramentas auxiliares de extração de dados e interpretações de informações contidas no texto,que só poderão ser analisadas depois de convertidos em texto. E a versão supereditada de nossa produção serve exatamente para isso.

Cortes vigorosos nas informações não essenciais

Temos recebido feedbacks positivos de empresas de pesquisa e consultorias com relação à versão supereditada, onde informações não relevantes são excluídas pois "isso permitiu ganhar tempo na análise".

E assim, aquelas frases iniciais padrão que visam informar ao entrevistado qual o objetivo da pesquisa e quem é o pesquisador são descartados, assim como divagações. A transcrição de áudio supereditada é a mais limpa possível para privilegiar a leitura e o conteúdo.

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Exemplo de transcrição de áudio acadêmica


O que é transcrição de áudio literal acadêmica? Trata-se de uma adaptação da transcrição de áudio literal jurídica. Apenas adotamos os cortes de "né", "tá", e gaguejos são minimizados. Frases incompletas são cortadas se percebemos que não trazem contribuição ao contexto.

Este artigo tem 770 palavras aproximadamente e deve levar 4 minutos para ser lido.

Transcrição de áudio literal acadêmica

A transcrição de áudio literal acadêmica não permite corte de "né", "tá", assim como corte de gaguejos (minimizando-as ou suprimindo-as) e frases incompletas são suprimidas. A exemplo dos cortes de "expressões de assentimentos demonstrando compreensão, do juiz também promovemos esses cortes.

Já "pra, e "pro, são convertidos para a forma ortográfica correta "para, e "para o. Essas são as diferenças entre transcrição de áudio literal jurídica e transcrição de áudio literal acadêmica.

Representação dos falantes

As entrevistas podem ser individuais ou em grupo (grupos focais). A transcrição de entrevista é uma comunicação equilibrada e em formato de pergunta-resposta. Momentos delicados são evitáveis com as frases "não me sinto à vontade para responder, ou "não conheço o suficiente sobre o assunto, e nunca presenciei um entrevistador insistir no questionamento. As respostas-padrão são "tudo bem, sem problemas, e passa se à próxima pergunta.

Representação dos falantes

A representação dos falantes é a seguinte:

P1: Pesquisador(a) principal

P2: Pesquisador(a) auxiliar

H1: Respondente masculino

F1: Respondente feminino

Todos esses representados são falantes ativos na entrevista. Diálogo com garçons ou parentes (crianças ou outros) que não tem relação com a entrevista não são considerados falantes (não há interesse do pesquisador na fala delas) então é possível promover corte. Por exemplo, o garçom oferecendo alguma bebida.

Alguns ajustes são permitidos para tornar a apresentação mais amigável à digitação e à leitura, como uma interrupção do pesquisador enquanto o entrevistado está falando. Muitas vezes é possível recompor pequenos trechos editando-os para melhorar a estética e a leitura. Notamos que isso agrada o pesquisador.

Comentários do transcritor

Existem comentários que podem ser inseridos e convencionou-se adotar o padrão ABNT de ((utilização de parênteses duplos)) para representar algo que o transcritor queira dizer ao leitor: ((corte do transcritor)), por exemplo, ou ((risos)) ou ((aplausos)).

A marcação de tempo

A marcação de tempo deve ser feita no início e no final da transcrição da entrevista, além de indicar o tempo em que ocorrem ininteligências (inint) [00:00:00], hipóteses silábicas de escuta (hipótese silábica) [00:00:00] e (...) ((corte)) [00:00:00]. O "(...), também representa corte, o ((corte)) é redundância.

O início da transcrição deve ser marcado por ((início da transcrição)) e o fim como ((fim da transcrição)).

A legenda mínima que resume os elementos da transcrição são:

... – reticência
(...) – corte do transcritor
(inint) – ininteligências
(hipótese silábica) – hipótese silábica de escuta
((comentários)) – comentários do transcritor

Transcrição de entrevista com grupo focal

Considero grupo focal a existência de pelo menos cinco pessoas, o pesquisador e mais quatro falantes. Nesses casos, caso o cliente desejar é feito a identificação dos falantes desde que a gravação esteja bem realizada e apresente boa qualidade. Pode-se considerar como customização e cobrar um valor extra pela marcação,entre 5-10% de sobrepreço tem sido aceito sem muita reclamação.

Quando há muitas pessoas, identificamos os falantes apenas como masculino (H1) ou (F1). (P1) sempre indicará pesquisador independente de gênero sexual.

Exemplo de transcrição de áudio literatura acadêmica

Um tipo de gravação não chega muito para nós, mas intencionalmente deixei um fragmento inútil que poderia muito bem ter sido cortado em uma transcrição supereditada, mas que não cortamos quando é literal acadêmica. As partes que cortaria estão sublinhadas.

 P1: Boa tarde, professor. Obrigada por me receber e desculpe o atraso.

H1: Boa tarde. Trânsito ruim, não?

P1: Uhum, é verdade, estava ruim mesmo. E com esse calor...

H1: Você aceita uma água?

 P1: Ah, sim. Muito obrigada. Podemos começar, professor?

H1: Sim, como não?

((toda essa parte superior da entrevista seria cortada em uma supereditada))

 P1: . Então, hoje é segunda-feira, 20 de agosto de 2018. São 15:00 e hoje estou conversando com o professor Fulano de Tal, da Universidade XYZ. Bom dia, professor, obrigada pela oportunidade de estar aqui conversando com o senhor.

H1: Uhum, o prazer é meu. E nada de senhor, pode me chamar de "você", né?.  

 P1: Muito bem, professor, a sua formação acadêmica é qual bem resumidamente?

H1: Eh reticências Sou formado pela Universidade Y em administração de empresas e fiz mestrado em ciências da computação e doutorado em arqueologia cibernética.

((a transcrição literal acadêmica procura apenas cortar "né", tá, e outras ocorrências de fala que não tem importância no contexto da entrevista e somente faz cansar os olhos de quem lê))

Exemplo de transcrição de áudio literal jurídica


O que é transcrição de áudio literal jurídica? Nada melhor do que apresentar um exemplo de transcrição de áudio literal jurídica para exaltar as suas peculiaridades.

Este artigo tem 670 palavras aproximadamente e você deverá gastar cerca de 3,5 minutos para sua leitura.

Identificação dos falantes em transcrição de áudio literal jurídica

A identificação dos falantes é feita em caixa alta (quando todas as letras estão em maiúscula).

JUIZ: Senhor Fulano de tal, boa tarde. O senhor foi chamado na condição de testemunha e está obrigado a dizer a verdade. O senhor tem alguma relação de parentesco ou amizade com alguma das partes envolvidas no processo?

TESTEMUNHA: Não, doutor.

JUIZ: Pode me dizer seu nome completo?

TESTEMUNHA: Fulano de Tal, doutor.

A estrutura de uma audiência é presidida pelo juiz, que abre a sessão. O juiz fará algumas perguntas pertinentes ao caso, passará ao PROMOTOR ou ADVOGADO da parte e finalmente passará à DEFESA ou CONTRAPARTE. Os depoentes são TESTEMUNHA ou RÉU. Ou RÉ.

Para este tipo de transcrição de áudio literal jurídica, tudo é anotado, inclusive os erros de português.

JUIZ: O senhor pode me dizer brevemente o que aconteceu na ocasião dos fatos?

TESTEMUNHA: Bem, doutor... eh... eu estava andando pela Rua 3 – tá ligado? – quando vi o carro atravessando o farol vermelho e bateu e atropelou o ciclista.

JUIZ: Uhum.

TESTEMUNHA: E então nós foi ver se o ciclista estava precisando de ajuda. Aí fui correndo pra lá pra ver. Veio a ambulância rapidinho e levou lá pro hospital...

JUIZ: Tá.

TESTEMUNHA: ... o hospital municipal lá que fica lá pertinho, sabe?

Repare: em alguns tribunais os manuais de instrução nos autorizam a cortar "as expressões de assentimento e concordância do juiz, somente permitindo registrar as falas, sem necessidade de digitar o "uhum, por exemplo quando for só essa frase do JUIZ. Entretanto, todos os outros "uhum, "ah, tá, etc. Dos depoentes e das partes (PROMOTOR, DEFESA) etc. Devem ser anotados.

A questão do verbo estar na transcrição de áudio literal jurídica


A grande maioria das transcrições que fiz conjugavam o verbo estar. Gravar "eu tava ino pra casa, deve ser grafado como "eu estava indo pra casa. Somente o "pro, e "pra, são mantidos. Contras do verbo estar como "tá, apresentando um assentimento em "tá legal, ou "tá bom, são mantidos. As contras "né, também são mantidos e todos os gaguejos são mantidos.

Há duas formas de apresentar gaguejos: através de vogais seguidas "o o o o rato roeu a a a roupa do rei de Roma, ou "o... o... o... rato... são admitidos.

Costumo apresentar os falantes da seguinte forma quando abrevio os participantes:

P1: Presidente da sessão (juiz)

P2: Promotoria ou Parte

D1: Advogado de defesa ou Contraparte

R1: Depoente (seja réu ou testemunha)

H1: Auxiliar do juiz (masculino)

F2: Auxiliar do juiz (feminino)

Identificando os falantes antes de iniciar a transcrição, isso torna a leitura mais agradável. As perguntas do Juiz, Promotor, Defesa, todas as perguntas são negritadas em nosso formato de apresentação.

Esse formato tem sido universalmente usado em sessões do CADE, tribunais e outros, sem reclamação.

Excetuando-se então os "pro, "pra, "né, tá, a apresentação ortográfica segue a grafia padrão da Língua Portuguesa.

Há advogados que preferem que se anote o tempo da transcrição a cada turno. O formato adotado é o [00:00:00] em geral antes da identificação do falante.


[00:00:00] JUIZ: Boa tarde, Seu Fulano.

[00:00:00] TESTEMUNHA: Boa tarde, doutor.

Essas são as características principais de uma transcrição de áudio literal jurídica. Por enquanto, percebi que cada empresa de transcrição de áudio adota um padrão de acordo com as instruções oriundas dos tribunais. Há leves variações de um Estado para outro, assim como um tribunal para outro. Em geral é isso.

Exemplo de transcrição de áudio supereditada

A transcrição de áudio supereditada traz cortes e intervenções mais vigorosas do transcritor-revisor sobre o conteúdo do áudio a ser trans...